Pesquisar este blog

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

ALINHAMENTO PELO MÉTODO DRIFT (DERIVAÇÃO)

Como prometido no último artigo, nesse vou abordar um dos principais problemas que um astrofotografo enfrenta, principalmente aqueles que não possuem um local fixo para montagem, o "alinhamento polar", mais especificamente o alinhamento pelo Método Drift, que é um alinhamento preciso.

ALINHAMENTO BÁSICO

Chamo de "alinhamento básico" o alinhamento que se aproxima do alinhamento preciso. Seria um alinhamento que permiti realizar observações com tranquilidade e até mesmo fotografias com curto tempo de exposição.

Para se compreender o alinhamento é necessário compreender primeiramente como uma montagem equatorial funciona, caso contrário o processo será muito mais complicado. 

Movimentos / alinhamento montagem equatorial



A montagem equatorial possui 2 eixos, o eixo de Declinação (DEC), cuja utilidade básica é apenas para apontar (centrar) os objetos a serem observados e o eixo de Ascensão reta (RA), esse sim, responsável por compensar o movimento de rotação da terra. No caso do hemisfério sul, esse eixo quando alinhado perfeitamente com o Polo Sul Celeste (vide imagem acima) executará um movimento de rotação do leste para o oeste, compensando assim a rotação da terra que é de oeste para leste. 

Observando a imagem acima fica claro o que devemos fazer para que o acompanhamento funcione. Basta alinhar o eixo polar exatamente no polo. Como fazer isso?

No hemisfério sul não temos a mesma sorte que nossos amigos do hemisfério norte. Não possuímos uma estrela polar, pelo menos não uma com magnitude igual. Portanto o negócio aqui é um pouco mais complicado. Vamos ver algumas opções para o hemisfério sul:

Ajuste da altitude: Para todos os métodos a seguir ajuste a altura da montagem conforme sua latitude. Basta saber a latitude do seu local de observação e ajustar a altura para o mesmo com apoio das marcações na lateral da montagem (caso sua montagem não possua essa marcação utilize um nível digital para isso). Link para encontrar a sua latitude  Mygeoposition.
Esse ajuste é relativamente fácil:



Marcação latitude montagem equatorial

Obs: Para todos os métodos a seguir, o melhor é que a montagem esteja bem nivelada, não é uma condição necessária, mas é bem aconselhável, principalmente se sua montagem é goto.

Estrela Sigma Octantis (σ Oct) :  Essa é um opção para quem possuí um céu com pouca poluição luminosa, pois a estrela  σ Oct é de magnitude maior que 5 o que dificulta sua localização em lugares com muita PL. Caso seu céu se enquadre nessa opção, basta utilizar a buscadora polar que vem na maioria das montagens equatoriais decentes. Geralmente é somente retirar a tampa da parte de trás olhar através da ocular. Faça o ajuste do Azimute (direita/esquerda) e da Altitude (cima/baixo) ajuste até centrar a estrela na buscadora polar. Observe na figura abaixo que ela fica muito próxima do polo sul celeste.

Polo sul celeste - σ Oct


Cruzeiro do sul: Geralmente menos preciso que usar a Estrela Sigma Octantis, porém uma ótima opção devido a facilidade de reconhecer e localizar. 

Polo sul celeste - Cruzeiro do sul


Como fazer:

1) Localize o cruzeiro do sul.
2) Utilizando o "eixo maior da cruz" formada pela constelação,  trace uma linha imaginária de aproximadamente 4 vezes o comprimento do eixo maior da cruz a partir a estrela Acrux ou de 5 X a partir da estrela Gacrux. Essa será a localização aproximada do pólo sul.

Bússola: Eu particularmente não gosto desse método, eu sempre tenho alguma interferência magnética por perto. Mas para quem preferir pode ser uma boa. Não vou nem entrar em detalhes sobre usar uma bússola convencional, porém quem quiser utilizar a tradicional lembre-se que ela aponta para o polo norte magnético e o que queremos encontrar o polo verdadeiro, portanto torna-se necessário calcular a declinação magnética (para calcular a declinação acesse  http://www.ngdc.noaa.gov/geomag-web/). A melhor opção hoje é utilizar um Smartphone ou qualquer dispositivo similar com um app que simule uma bussola, ai basta configura-lo para apontar para o polo verdadeiro que ele fará o calculo da declinação por você. Feito isso, basta apontar a montagem para o sul. 

Norte verdadeiro - Bússola Android

ALINHAMENTO PELO MÉTODO DRIFT 


Agora chegamos no ponto alto do artigo. Eu nunca encontrei um material realmente simples e objetivo sobre esse assunto em português, por isso resolvi escrever esse artigo.

O método drift consiste basicamente em centrar uma estrela e observar para que lado ela foge do centro. Detectada a fuga, realiza-se o ajuste necessário para que essa ela minimize até que não exista mais. 

Passos: 

1º.) Realize o alinhamento básico descrito acima.

2º.) Coloque uma câmera planetária ou webcam, ou ainda uma ocular (preferência com retículo) que proporcione um aumento forte (150x ou mais). Eu prefiro usar uma câmera planetária e ativar o retículo virtual do software de captura que eu estiver utilizando. 

3º.) Aponte para uma estrela ao leste o próxima ao horizonte.

4º.) Com o controle da montagem mova a mesma para o sul, a estrela aparentará se mover para o norte, e para o norte, aparentará se mover para o sul. Observe o eixo que a estrela se move no campo da câmera ou ocular, dessa maneira você irá localiza qual lado é o sul e qual é o norte (se estiver usando uma câmera ou ocular com retículo, vire ela para que o o norte e sul fique na vertical ou horizontal. Não é necessário, mas facilita).


Determinando o Norte / Sul


5º.) Sabendo qual lado e o sul e qual é norte, centre a estrela e deixe por um tempo até que perceba que ela está fugindo para o norte ou para o sul. Ignore o movimento que não for para um desses lados. 

Estrela ao leste fugindo para o Sul - Ajustar altitude para baixo


6º.) Após identificar para que lado a estrela fugiu, proceda com o seguinte ajuste dependendo do caso:
  •   Se a estrela fugiu para o sul, quer dizer que você esta apontando um pouco para cima do polo, então ajuste a altitude para baixo.
  •   Se a estrela fugiu para o norte, quer dizer que você esta apontando um pouco para baixo do polo, ajuste a montagem para cima. 
7º) Repita esse passo até que praticamente não exista mais fuga para norte ou sul.

8º.) Aponte para uma estrela próxima ao meridiano e ao Zênite.

9º.) Novamente centre a estrela e deixe por um tempo até que perceba que ela está fugindo para o norte ou para o sul. Ignore o movimento que não for para um desses lados. 

10º.) Após identificar para que lado a estrela fugiu, proceda com o seguinte ajuste dependendo do caso:
  •   Se a estrela fugir para o NORTE, quer dizer que você esta apontando um pouco para o oeste do polo, então ajuste o azimute para LESTE.
  •   Se a estrela fugir para o SUL, quer dizer que você esta apontando um pouco para o leste do polo, então ajuste o azimute para OESTE.
11º.) Repita esse passo até que praticamente não exista mais fuga.

12º.) Repita todo o processo quantas vezes forem necessárias, até que a estrela se mantenha no centro por um longo período.

Observações: 

  • O "tamanho" do ajuste vai depender de quanto seu alinhamento está fora. Se a estrela escapa totalmente do campo em segundos, quer dizer que o ajuste tem que ser feito até mesmo movendo o tripé, pois está bem fora. Caso a estrela demore, vamos dizer de 2 a 3 minutos para fugir do campo seu alinhamento esta próximo, o ajuste é moderado através dos knobs. Caso a estrela fique longo tempo para se notar a fuga, 5 minutos ou mais, você está muito próximo, aplique ajustes fracos.
  • Caso o leste não seja visível, utilize uma estrela no oeste, porém inverta as correções, veja a tabela no fim do artigo.

O PULO DO GATO

As vezes esse negócio de norte e sul, leste e oeste pode confundir a cabeça. Eu sei, porque no início eu ficava perdido. Pena eu não me lembrar na onde eu li, mas nunca mais me esqueci de uma brincadeira que auxilia na orientação. 

Alinhar a altura é coisa tranquila e normal, pois para o lado que a estrela fugir você faz o ajuste ao contrário.  Isso mesmo, simples assim, olha na tela / ocular, fugiu para um lado, você faz o ajuste na altura para que fuja para outro (conforme você vira o knob).


Alinhar o azimute é loucura, pois para o lado que a estrela fugir você faz o ajuste para o mesmo lado. Ou seja, olha na tela / ocular, fugiu para um lado, você faz o ajuste no azimute para que fuja ainda mais para o mesmo lado, loco né? Mas é isso mesmo.

Resumindo, alinhar a altura é lógico, se está fugindo para um lado, ajusta para outro para diminuir a fuga. Já alinhar o azimute parece errado, pois você corrige para o mesmo lado que a estrela foge.


ALINHAMENTO PELO MÉTODO DRIFT
HEMISFÉRIO SUL
LOCALIZAÇÃO
AÇÃO
Meridiano
Fuga para NORTE ajuste azimute p/ LESTE
Fuga para SUL, ajuste azimute para OESTE
Leste
Fuga para NORTE, ajuste altura para CIMA
Fuga para SUL, ajuste altura para BAIXO
Oeste
Fuga para NORTE, ajuste altura para BAIXO
Fuga para SUL, ajuste altura para CIMA
HEMISFÉRIO NORTE
LOCALIZAÇÃO
AÇÃO
Meridiano
Fuga para NORTE ajuste azimute p/ LESTE
Fuga para SUL, ajuste azimute p/ OESTE
Leste
Fuga para NORTE, ajuste altura para BAIXO
Fuga para SUL, ajuste altura para CIMA
Oeste
Fuga para NORTE, ajuste altura para CIMA
Fuga para SUL, ajuste altura para BAIXO

É isso ai, espero que artigo ajude a todos que tem dúvida em como proceder com um alinhamento preciso. No próximo artigo, vamos falar sobre auto-guiagem utilizando o PHD2 Guiding (vou também explicar como fazer o alinhamento drift utilizando o PHD). Deixo abaixo uma tabelinha bem útil para ser utilizada como referência para o alinhamento pelo método drift. Até a próxima.



13 comentários:

  1. Leandro matou a pau, era disso que nós iniciantes precisávamos, simples e objetivo. Parabéns e Obrigado.

    ResponderExcluir
  2. Olá Leandro, muito bom!!! Uma dúvida, na tabela prática, nas açôes os ajustes sempre são efetuados no Azimuth mesmo quando são para cima ou para baixo, neste caso o ajuste não deveria ser no eixo de Altitude? Obrigado por sua atenção.

    ResponderExcluir
  3. Leandro, no zenite se a estrela foge para o sul, devemos desviar o azimute para leste e se foge para norte, desviar o azimute para o oeste.

    ResponderExcluir
  4. Olá Leandro, tutorial nota 10, principalmente no esclarecimento conceitual. Obrigado por compartilhar. Mas acho que entendi a questão colocada pelo Qalb, nos comentários. Na tabela resumo todos os ajustes estão indicados para serem feitos nos knobs de azimuth, sendo que o que se entende no texto é que os ajustes com base na estrela Leste ou Oeste devem ser feito na altitude da montagem enquanto os ajustes com base na estrela Meridiano, esses sim, seriam feitos nos knobs de azimuth da montagem.

    ResponderExcluir
  5. Muito bom, rico material para nos iniciantes! Parabéns!

    ResponderExcluir
  6. Olá - parabéns pelo artigo
    Só fiquei confuso com relação ao ajuste do hemisfério sul, na tabela.
    Com a estrela no Meridiano, se ela fugir NORTE, o ajuste de azimute é p/ LESTE mesmo? Não seria para OESTE?
    O mesmo vale para fuga da estrela para SUL - daí o ajuste de azimute seria para LESTE, não para OESTE.
    Deste modo, o ajuste ficaria, de fato, invertido em relação ao hemisfério norte.
    Estou errado?
    Abraços,
    Rodolfo

    ResponderExcluir
  7. Meu amigo, para realizar este alinhamento, e preciso que a montagem seja motorizada?

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Fala Leandro...
    Eu só estou lendo agora, mas deu pra clarear e renovar o conceito. Parabéns!
    Falta o artigo sobre guiagem, esse sim merece uma atenção mais acurada, por ser mais complexo.
    Abraço.
    Luca

    ResponderExcluir